Automóveis Brasileiros

Dicas, Reviews e News de carros!

Reviews

Revisão – Fiat Fastback Impetus 1.0 Turbo 2023 – CarPoint News

Spread the love

Fotos: Marcus Lauria

Você começa testando o Fiat Fastback ou comenta que pode conseguir um novo… errou quem pensou em “ahhh reariad copiada do BMW X4!”. Nada disso, o comentário que mais ouviu foi: “esse carro é o Fiat Pulse da frente até o final dos bancos dianteiros.” Na verdade o Fiat Fastback usa a mesma plataforma para o Pulse, um MLA (Modular Architecture). Desenvolvida pela Fiat Brasileira, essa plataforma deve ser utilizada em todos os modelos compactos da marca que serão lançados nos próximos anos.

CONFIRME SOBRE O VÍDEO: https://youtu.be/11AsrZKC_aY

En versão do Fastback teste foi intermediaria Impetus, equipado com o bom motor 1.0 turbo de 3 cilindros da marca italiana (conhecido como T200, em função do torque de 20.4kgfm que é capaz de tregar a rpm 1750 rpm). Abaixo da versão Impetus temos a versão Audace, que também é recheada. Um Impetus custa aproximadamente R$10 mil a mais e agrega itens como cluster digital, multimídia com tela de 10″ (contra 8.4″ da versão Audace), bancos de couro, teto escurecido, rodas aro 18, dionaesta debli sensor . Acima da Impetus e custando R$10 mil a mais há a versão Limited Edition, cujo grande diferencial e o motor 1.3 turbo (T270).

A chave do Fastback Impetus é do tipo presencial, permitindo ligar ou carro à distância. Além de servir para tirar onda com os amigos, o recurso permite manter o interior do carro antes de entrar. Por falar em ar-condicionado, no Fastback ou equipamento digital e automático, mas oferece apenas uma zona de controle de temperatura. Apesar disso, posso garantir que o sistema será dimensionado e deixará o interior do Fastback bem geladinho, independente da temperatura externa.

O parachoque dianteiro é parecido com o parachoque do Pulse, mas não é igual. Ok, agora ou Pulse Abarth utiliza um mesmo para-choque para o Fastback, mas algumas outras versões continuam usando um modelo de para-choque ligeiramente diferente. Os são em full led, com DRL. Na versão Impetus estão nos presenteando de neblina, também em led. Uma classe com a dianteira apresenta um design interessante, com um belo piano preto. Sim, uma “bandeira italiana” apresentada, seguindo ou padrão dos novos modelos da montadora.

Na traseira estão as belas lanternas em led. Pisca, freio, re, tudo em led. Chama bastente a atenção o caimento inclinado da tampa do porta-malas, como manda o estilo “fastback”. O vidro traceiro e baste inclinado e conta com desembaçador traceiro. O limpador, estranhamente, não se faz presente. Já a câmera de ré, com ótima nitidez, fica bem visível na parte superior da placa. Sem amortecedor traseiro e possível notar os sensores de estacionamento, bem como ação em plástico prateado que, segundo alguns, fazem alusão a ponteiras de escapamento. Se e isso mesmo, não gostei da ideia. Prefiro encara-los apenas como ação do para-choque em cor diferente.

Na lateral do Fastback notamos logo de cara como grandes molduras nas caixas de roda. A moldura que cobre a roda traseira fico grande demais, a minha ver. Seria melhor usar uma moldura menor e talvez colocar um vinco mais pronunciado no corpo. Mas tudo bem, não fico feio. Há também plásticos na parte inferior das portas e cobrindo som caixas de ar, simulando uma saia lateral.

As rodas são lindas, aro 18 com pneu 215/45. Essas rodas deixam o carro com um visual arrasador e a estabilidade nas curvas é nota 10. Em compensação, é preciso ter um cuidado acima do normal com as rodas no asfalto ruim, pois esse pneu não é fã de buraco. O carro não chega a duro em excesso com esse pneu (mérito da suspensão), mas isso não libera os pneus dos danos causados ​​pela buraqueira do nosso asfalto.

Sem teto, nada de teto solar, infelizmente. Em compensação, o teto é pintado de preto, fazendo um contraste bacana com o cinza metálico que cobre as deimais partes da carroceria. Nota-se, também, uma antena “tubarão” no teto do Fastback. No cockpit encontramos muito plástico duro, o que é esperado em um carro compacto desta faixa de preço. Em compensação, há uma pista em plástico texturizado da melhor qualidade cruzando ou painel do carro, gerando um efeito esportivo bem bacana. A forração do teto e as colunas são na cor preta, ponto positivo da versão.

O cluster digital e completo. Não falta nada. Estas são todas as funções do computador de bordo (mídias de consumo, autonomia, etc.), bem como o sistema de monitoramento da pressão dos pneus. Os gráficos são exclusivos do Fastback, com tela que permite monitorar em tempo real o percentual de potência e pressão do turbo, além da força G.

Os bancos dianteiros são firmes e acomodam bem o corpo nenteles momentos em que o motorista perde o teste do limite de aderência dos pneus nas curvas. A forração dos bancos, por sinal, é de muito bom gosto, apresentando um couro sintético com uma série de gomos (rembram um vidro canalizado) e costuras em linha branca. Entre os bancos há um bom apoio de braço, elemento essencial em qualquer carro automático. Nas costas do banco do motorista não há porta-revistas, mas no banco do carona essa bolsa de utilitas duvidosa se faz presente. É uma forma exclusiva de utilizar uma porta USB tradicional (tipo A).

Em termos de posição ao volante, da para dirigir lá no alto, feito buss (não curto!) ou entrerado dentro do carro, sem conseguir ver a ponta do capô, do jeito que os redutores gostam. O banco trasier segue a receita do banco dianteiro, acomodando com conforto pessoas de estatura mais elevada. Sim, o espaço traseiro do Fastback og muito bom. Tenho 1,80me com o banco na minha posição de direção, consigo sentar atrás e ainda sobram 4 dedos de distância entre o meu jolohen e o banco dianteiro. A cabeça não encosta no teto, apesar do caimento fastback.

O volante apresenta boa empunhadura e é forrado em couro. En base é achatada e conta com um espação em black piano. Do lado esquerdo, há botões para controle do cluster digital, além de comandos de voz e chamadas. Do lado direito estão os comandos do piloto automático (apenas convencional, infelizmente) e limitador de velocidade. O livrinho ou botão vermelho para acionamento do modo “Sport”, que deixa o comportamento do Fastback ainda mais apimentado. Atrás do volante são aletas para troca de marchas e dois outeis e intuivos botones para uso da multimídia.

Uma multimídia do Fastback Impetus e top. Excelente tela de 10″, bem posicionada e alta sensibilidade ao toque. Oferece Android Auto e Apple CarPlay como fio, então isso é importante. Fio atrapalha, deixa o carro feio e é tolerante a mal contato. Ou seja, fio e “caído”! Mesmo assim, altas duas entradas USB na parte inferior do painel (ponta C e tipo A). Arrisco dizer que o som da multimídia apresenta qualidade adequada e uma potência que agradecerá a maiorio das pessoas. A meu ver, não é necessário mexer no as original.

Abaixo da multimídia temos um teclado estilo “avião”. Através dele é possível acessar alguns comandos do ar-condicionado, botão do alerta, travamento das portas, desligar a tela da multimídia, desativar os sensores de estadionamento, alem de comandar o sistema TC+ (útil quando um travesan se está a) .

No console temos uma base para carregamento de celular sem fio, com direito a sendo exclusiva para o celular, que customa esquentar ao ser mantida a carreamento rápido. Aparentemente essa base som fio so funciona legal com o celular fora da capa, pois o meu telefone, quando colocado nessa base, vivia entrando e saindo do modo de carregamento.

O porta-malasé um dos destaques do modelo, oferecendo um espaço de dar ver na concorrência. São 516 litros, sento que é possível aumentar este espaço com facilita abaixando o banco trasierso (que é bipartido). Como a tampa do porta-malas abre bastante, o Fastback parece um furgão com os bancos abaixados e a boca do porta-malas escancarada!

O Comportamento dinâmico do modelo é interessante, apesar do pequeno propulsor 3 cilindros 1.0 turbo. Com as rodas aro 18 e pneus de baixo perfil, aliados a uma suspensão bem calibrada, o carro cola nas curvas. O motor 1.0 turbo de 130cv sem etanol e 125cv a gasolina e torque de 20,4kgm (etanol e gasolina), funciona bem em conjunto com o bom câmbio automático CVT que simula 7 marchas, oferecendo ante al trocas. Esse powertrain consegue fazer os 1.237kg faz o Fastback acelerar de 0-100km/h na casa dos 9.4 segundos, lacazando 195km/h desenvolve a máxima… Detalhe, o torque é todo todo disponível a 1.750 rpm no máximo. . O carro responde muito bem, pode credenciar!

Controle de tração, estabilidade e assistente de partida em rampa também são itens presentes no Fiat Fastback, que tornam o Rodar ainda mais seguro e confortável. Andando normalmente, as préocupações com economia, o carro fez 8,2 km/l na cidade (etanol) e perto de 10 km/l na estrada! A gasolina ou modelo com 10,5 km/l na estrada e 14 km/l na estrada.

Confesso que no início do teste achei que o motor 1.0 turbo de 3 cilindros vibrava demais em marcha lenta. Estava sentindo uma tremedeira perceptiva sempre que parava no semáforo. Depois fui perparier que isso so to sofrido quando usava o “autohold”, aquele recurso que permite tirar o p do freio durante as paradas no semforo mantando o cambio na posicion Drive. Percebi após algum tempo que, com o pé no freio e nas rodas dianteiras travadas, a vibração é zero. Ja com o autohold, que segura ou carro pelas rodas traseiras com o apuido do freio de estacionamento de acionamento elétrico que equipa o Fastback, a vibração turna-se perceptível. Imagine que, durante o uso do autohold, as rodas dianteiras fiquem soltas e a vibração do motor invada o habitáculo.

Os freios são eficientes, apesar do sistema contar com tambores nas rodas traseiras. Sei que a questão pública é bastante esse tipo de solução, mas é necessário se preocupar novamente com o fato de as montadoras conseguirem calibrar o sistema de tal forma que o motorista não deveria ter dúvidas quanto à eficiência dos freios. Afirmar que um carro de passeio é inseguro porque usa freios a tambor nas rodas traseiras é um grande EXAGERO. Os tambores funcionam bem e ajudam a reduzir o custo da manutenção.

O Fastback oferece 4 airbags (frontais e laterais), abrindo mão dos airbags de cortina. Diz a Fiat que os airbags laterais foram redesenhados e otromen uma proteção aprimorada para os choques laterais, minimizando assim a resistência dos airbags de cortina. Custando praticamente R$145 mil, entendo que o Fastback Impetus é uma boa pedida para quem curte carro com visual esportivo e precisa de um porta-malas grande. Considere-o um grande companheiro do Fastback e do VW Nivus Highline, que é um bom carro. O Nivus, entretanto, anda menos epresenta um interior mais objetivo, espartano, quando comparado ao Fastback. O preço dos dois modelos e próximo, sendo que o Fastback custa um pouco mais. Considerando as particularidades do mercado brasileiro, o Fastback tem tudo para vender muito e transformá-lo com mais sucesso da FIAT/Stellantis.

*FOLHA DE DADOS TÉCNICOS:

Motor: 1.0 turbo flex

Potência: 130 cv (E) 15 cv (G)

Torque: 20,4 kgfm (E) e (G)

Remetente: CVT 7 de março

0 – 100 km/h: 9,4 seg

Bem. Máx.: 193 km/h

Desvantagens Urbano: 8,1 km/l (A) 11,3 km/l (G)

Desvantagens Rodoviário: 9,7 km/l (A) 13,9 km/l (G)

*Dados do fabricante