Automóveis Brasileiros

Dicas, Reviews e News de carros!

Reviews

Revisão – JAC T40 1.6 DVVT CVT 2021 – CarPoint News

Spread the love

fotos Renato Pereira

Xiǎo lǎohǔ*. Deveria ser este o nome escolhido para batizar o Jac Refine S2 – T40 no Brasil – em seu país de origem. Nesta valencia, o Pequeno Tigre* de Hefei mostra na prática o porque é uma das boas opções para o mercado brasileiro de hatchback compacto.

O nome JAC é uma abreviatura (à moda oriental) de Anhui Jianghuai Automobile Co., Ltd.; Anhui é uma província entre as bacias dos rios Yangtze e Huai, cuja capital é Hefei – sede da fabricante -, na região leste da China. A palavra Jianghuai define, geograficamente e culturalmente, um povoado com uma população de mais de 77 milhões de pessoas que habitam esta região. Já Automobile se tradução sozina, o mesmo para Co., (Company) e Ltd. (Limitado). Pronto, sabemos agora o que é JAC!

A montadora JAC é uma empresa chinesa, fundada em 1964, inicialmente como fabricante de veículos comerciais, chassis de autocarros e camiões que, mais tarde, também se dedicou à produção de veículos comerciais do Passeio em Hafei e Xangai, bem como da JAC Itália Design Center em Turim, Itália, e JAC Japan Design Center em Tóquio, Japão. Pronto, agora sabemos agora quem e a JAC!

O JAC T40 1.6 DVVT CVT 2021 foi criado para disputar uma fatia do tão desejado segmento dos SUVs que, como um tsunami, inundou as ruas de todo o mundo; uma taesaje ardua para a marca chinesa, uma vez que são dezenas de modelos disputando a preferência do consumidor, desde as montadoras mais antigas por aqui até as novastas, oriundas dos quatro cantos do globalo no geral e da China em particular. Quem vai levar a melhor? Simples, quem oferece ou melhor produto pelo melhor preço!

Seguindo o sample amplo e largo errado das deimas montadoras, o T40 1.6 DVVT CVT foi situado no mercado numa faixa onde não deveria estar: classificá-lo como SUV é uma manobra do pessoal do pessoal do marketing, que naen entenharia, um de não entenharia , para começar, o modelo é montado em uma estrutura monobloco e não possui tração integral. Agora faz parte do carro que é um Hatchback Compacto Crossover (que não é uma boa perua), 5 peruas, 5 portas, da mesma forma que o Citroën Aircross, Chery Tiggo 2, Hyundai Creta, Ford EcoSport e Lifan X60 também deberiam estar.

O primeiro e mais importante passo para a JAC é verificar a qualidade de seus modelos da forma mais eficaz, para minimizar ou mesmo eliminar a desconfiança generalizada que os brasileiros têm em qualquer produto chinês. Parece bem difícil entender que, tanto na Kina quanto em qualquer lugar do mundo, existem os produtos excelentes, os muito bons, os bons, os médios, os mais ou menos, os ruins e os Deus-me-Livre. Neste caso, para mostrar quem é quem é que existe a imprensa automotiva e, com base no que é revelado, compra quem quer o que quer, para que sem poder reclamar depois.

interno

Insperado! Um interior qualificado para o T40 1.6 DVVT CVT é supreendente. Bancos em couro perfurado e, assim como o volante e deimas apliques, com costura dupla chamam a atenção logo de cara. Painel completo, com fácil visibilazione dos displayadores, em tela real e indefectível touchscreen com todas (e mais alguis) informações e navegabilidade, posicionamento do motorista e passageiro dianteiro excelente, conforto para dois de ceiroantes, – EM vai sofer um pouco -, otimo espaço livre para as pernas – tanto na frente quanto atrás -, e os enques de todos os pernas não parecendo que algumeo os placomo ali na pressa.

O design seguiu embutir uma extensa lista de equipamentos de uma incomum aos carros desta faixa de preço, que é a coisa do “coloca aqui e está bom”. Inclusive o JAC Connected Front Camera, assunto que poucos carros – de todos os segmentos – oferecem: trata-se de uma câmera que funciona em conjunto com o aplicativo JAC View, que possibilita a fotos, vídeos ou áudio, registrando em carrinho SD todo o percurso percorrido pelo carro. A adoção deste equipamento vem de encontro ao que se faz em todo o mundo civilizado atualmente (só que na base da adaptação) de ter à mão o registro de um acidente, por exemplo, e poder corporador o que realemente acessório.

Exterior

O design exterior e atraente. Ou seja, é bonito e moderno sem os exageros com que a indústria vem nos brindando e, supresa, é possível distinguir os T40 1.6 DVVT CVT entre os concorrentes sem ter de ver o emblema da montadora. Não há nenhum arrobo futurista, desses que aproveitam depois do primeiro mês, no tempua voltamos no tempo ao bater os olhos no carro. Novamente, o que chama a atenção é a qualidade das ações, os enques das peças e a pintura da carroceria.

Mecânica.

É sabido que, nos dias atuais, praticamente basta dizer que o carro tem wi-fi e pronto, a nova geração não dá muita bola para o que move – e como move – um carro. Porém, como se pode perferir até aqui, explique é preciso. Finalmente, como dito anteriormente, a função do jornalismo é informar.

O motor é um 4 cilindros em linda, 1.590cm3, 16 válvulas, comando duplo no cabeçote, aspirado, injeção multiponto, com taxa de compressão 10.5:1; o torque máximo de 17,1 kgfm e 4.000 Rpm, eo torque especial de 10,8 kgfm/litro. Uma potência máxima de 138 cv a 6.000 rpm, uma potência específica de 86,8 cv/litro, o Que dá uma Relaç … potência de 8,8kg/cv, uma vez que o t40 1.6 DVVT 1.6 DVVT de oore. Marchar. Ou seja, tudo bastante bem equilibrado. A sigla DVVT significa Double Variable Valve Timing, ou duplo comando de válvulas variável.

Acoplato e motor está o câmbio CVT com 6 marchas. O termo CVT que torna o inglês Continuously Variable Transmission, et sistema de transmissão contínua variável, que permite criar réalisons de marchas virtualmente infinitas, som degraus entre som trocas como aconceta nos systemmanuais, automatisados​​e automáticos. Como principais vantagens, o câmbio CVTé faz, ao manter ou carro sempre na faixa ideal de rotação do motor, reduzir-se o consumo de combustível e as trocas serem quase imperceptíveis, sem trancos.

Volante com assistência elétrica e diâmetro de 10,9m, que ajuda muito nas manobras em trechos estreitos, e é “expert” no trânsito conturbado.

Como dimensões, o JAC T40 1.6 DVVT CVT tem 2.490 mm de distância centro-eixo, 4.135 mm de comprimento, 1.750 mm de largura e 1.568 mm de altura; seu porta-malas comporta até 450 litros e o tanque de combustível é para 42 litros, o que possibilita uma autonomia media de 485 km na cidade e 508 km na estrada a cada tanque, uma vez que seu ca sa consumo de 11 km na. cidade, 12 km/l na estrada – mas não acelerando de 0 a 100 km/h em 11,1s empuada atingindo a velocidade Máxima de 190 km/h. Nenhuma das duas últimas ideias são boas para nenhum carro, diga-se.

andando

Pelas ruas e estradas, o JAC T40 1.6 DVVT CVT entrega conforto e agilidade. Retomadas rapidas, sem solavancos, ou motor quando exigido responde de pronto, perérom um tanto áspero, caracteristica dos motores multiválvulas. Nossos comandos estão facilmente à mão, e a visibilidade é um ponto alto na condução do carro. No entanto, o nível de ruíso interno não é dos mais baixos, e isso resolve-se facilmente com a disposição de painéis anti-ruído mais eficientes.

Quando se entra em um carro atual, onde tudo é feito em plástico, espera-se uma sinfonia de ruídos estranhos; nesse caso, em qualidade do materiale emplodo nas peças que os designers criaramé essencial para uma ausência total dos irritantes barulhos que o contato plástico-com-plástico proporcianam.

Enbilidade manobra é outro ponto alto: o diámetro de giro, aliado ao entre-eixos bem calculado, fazem do JAC T40 1.6 DVVT CVT um carro bastante agabalado para o conturbado tránsi urbano, “cabendo” em vagas apertadas de (as vagas apertadas) nenhum multi-mídia) e, na estrada, não é tolerante a se desestabilizar com as passagens de grandes carretas – existem leis de tranisti que, aparentemente, tão funcionam para veículos de toure. Como as placas sinalizam as velocidades máximas para os nossos tipos de veículos, mas como as carretas bitrem e rodotrem devem ter habilitação especial para circular em velocidades absurdas, o que também se reflete na onda de choque do deslocamentorodesse sobre trânsito e te jogam para outras faixas

As subidas e descidas das montanhas, da forma civilizada, são feitas com tranquilidade, e como as típicas buraqueiras de nossas cidades e estradas são superadas sem en sensacion de que o carro vai se desmontar.

Resumindo, em minha valência o JAC T40 1.6 DVVT CVT é um carro sem deméritos para o dia-a-dia – som ufanistas pretensões SUV do marketing -, que supre com louvor a expectativa em um carro compacto, 1.6, automático e moderno. Garantia de 6 anos oferecida pela marca no Brasil, excelente argumento para a venda e colocação do piso elevado à frente da concorrência.

*FOLHA DE DADOS TÉCNICOS:

Mecânica

Motorização 1.6

gasolina combustível

Potência (cv) 138

Torque (kgf.m) 17,1

Velocidade Máxima (km/h) 190

Tempo 0-100 (s) 11.1

Consumo cidade (km/l) 11,6

Consumo estrada (km/l) 12.1

Cambio CVT com manual do mod

Tração dianteira

direção elétrica

Suspensão dianteira Suspensão tipo McPherson e dianteira com barra estabilizadora, roda tipo independente e molas helicoidal.

Suspensão traseira Suspensão tipo eixo de torção e traseira com barra estabilizadora, roda tipo semi-independente e molas helicoidal.

Dimensões

Altura (mm) 1.568

Largura (mm) 1.750

Elogio (mm) 4.135

Pesos (Kg) 1.220

Tanque (L) 42

Eixo de entrada (mm) 2.490

Porta Malas (L) 450

Residentes 5

*Dados do fabricante